quinta-feira, 19 de junho de 2014

Perdido Em Minha Mente - Parte 01

Antes de tudo, fiquem sabendo que isso foi baseado em um sonho que eu tive,logo não tem nada de real e é uma história muito confusa, cujo eu gostei. Caso não gostem de histórias como essa é preferível que nem leiam. <3

Eu estava em uma casa de férias com a minha família, quando todos decidem sair para uma festa na cidade. Exceto eu, claro! Eu tinha que fazer o meu papel de antipático da família.

Foi uma péssima escolha da minha parte, a casa era muito grande e havia nela janelas enormes de vidro que estranhamente não tinham cortinas e dava pra ver nitidamente o gramado do lado de fora da casa.O cenário visto das janelas tinha um aspecto clássico de filmes de suspense, já era noite e o tempo estava levemente nublado com uma névoa um pouco acima do gramado. Eu não conseguia tirar a ideia de que a qualquer momento poderia aparecer um desconhecido naquele gramado com um objetivo não muito legal de estar ali.

Decidi ligar para o LL (garoto cujo eu estou gostando e que vai ser representado aqui por essas letras). Eu convidei ele para ir a tal casa, já que, eu estava sozinho e assustado.

Logo ele chegou, me cumprimentou, e claro, ao me abraçar eu tive que levantar os meus pés uns 10cm, já que as pessoas têm essa mania de serem maiores do que eu. Ele usava uma jaqueta de couro preta e uma bota, roupa típica de motoqueiros, enquanto eu usava uma blusa do meu pai que ficava bem larga em mim e usava um all star preto com algumas caveirinhas nele, é o meu tênis favorito.

Aquela casa estava ficando muito obscura para nós, então decidimos dar uma volta na tal festa da cidade. Haviam várias barraquinhas de lojas por lá, provavelmente era uma feira de vendas, aquelas que juntam todos da cidade em um lugar só.

Havia uma multidão por aquela feira , entrar naquelas ruas era como mergulhar em um mar de pessoas. Nós estávamos andando pelas pessoas e era como se de tempo em tempo a onda de pessoas no local aumentasse e não se conseguia ver nada além de pessoas sem rostos e quando essas pessoas se dispersavam, nós parecíamos estar em um lugar muito diferente na feira.

Estávamos passando por ruas normais, fechadas para o tal evento. Mais uma onda da multidão veio em nossa direção, já não dava mais para ver as lojinhas, o LL segurou a minha mão e foi me puxando por dentro da multidão, o contato com a mão dele fez com que eu me sentisse mais seguro. Quando a multidão começou a sumir novamente e a visão de onde estávamos começou a se abrir, nós não estávamos em uma espécie de lugar completamente fechado.

O lugar era frio e úmido, era um salão enorme e retangular, as barraquinhas ainda estavam ali como nas ruas e no centro havia uma abertura que dava vista a um andar inferior. Eu me apoiei em uma barra de metal que ficava em volta da abertura para ver o que havia ali em baixo.

Não havia barraquinhas de feira, mas haviam celas de prisão vazias.O local estava mais úmido que o andar superior, haviam poças d’água e o seu piso e parede estavam inacabados.

LL pegou meu braço e me puxou novamente para o meio de outra multidão. Quando as pessoas começaram a abrir caminho, nós percebemos que não estávamos no andar de cima e sim no andar inferior. Eu entrei em desespero e comecei a olhar para o teto procurando uma maneira de subir novamente, mas não havia mais uma abertura, nem se quer a multidão, estávamos apenas eu, LL e um senhor que aparentava ter 50 anos de idade e vestia uma espécie de uniforme branco.

Perdido em minha mente

Deem-me um desconto, pois só estou treinando a minha escrita,

é bem provável que isso fique um lixo, mas talvez eu continue a escrever isso em outra postagem.

To be continued…

By Wesley Belarmino

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Legal

    Mas ao anotar esse seu sonho e outros, nunca se esqueça: os sonhos são expressões de coisas/desejos reprimidas no nosso inconsciente (isso é ciência). Basta você analisá-lo e tentar associá-lo a sua vida com base nisso, para tentar se descobrir se entender cada vez mais.

    Hááá quem diga que alguns sonhos (ou algumas pessoas) tem certa capacidade premonitória, o que infelizmente acredito um pouco, apesar de ser ateu e não ter superstições. Falo baseado em experiências próprias e talvez alheia.rs Juro!

    ResponderExcluir